Hoje assinala-se um dia de luto pela vítimas de violência doméstica e este dia pode ser para quebrarmos o silêncio e darmos voz a esta luta. 

Eu resolvi escrever sobre uma forma de abuso menos visível, menos falada, mas igualmente frequente e impactante: o abuso psicológico. 

Mas afinal o que é mesmo o abuso psicológico?

O abuso psicológico é um meio muito eficaz para criar um desequilibro de poder no seio de uma relação. É muitas vezes invisível ou difícil de perceber aos olhos das outras pessoas, externas à relação. O abuso psicológico é tão prejudicional do que o abuso físico, acontecendo às vezes junto como este e/ou com abusos sexuais.

O abuso psicológico inclui: 

  • ser difamada
  • ser constantemente criticada
  • ser controlada e vigiada através de tecnologias, incluindo o controle e registo do uso do telemóvel, a verificação do histórico do computador, a leitura de todas as mensagens e emails e/ou a instalação secreta de câmaras de vigilância
  • ser ameaçada de morte, ou ameaçar filhos ou restante família, com detalhes do momento em que o fará
  • destruição de bens, incluindo carros, móveis, roupas, casa
  • ser chamada por nomes insultuosos, incluindo usando termos desses para falar de mulheres no geral
  • ficar impossibilitada de ter uma vida normal, porque fica sem as chaves do carro, sem combustível, sem telemóvel e sem qualquer meio de pedir ajuda
  • ser perseguida para onde for, não ficando sozinha em nenhuma atividade no exterior

Não precisas de ter todos estes itens na tua relação para estares em situação de risco ou violência doméstica. Basta te identificares com um destes itens para, no mínimo, refletires sobre o que esta relação significa para ti, qual o teu lugar nela, como te sentes e como gostarias de te sentir. 

Sugiro-te estas questões para meditação consciente:

Nesta relação… 

  • sinto-me livre?
  • sinto-me vista e ouvida?
  • sinto-me amada e acarinhada?
  • sinto-me segura?
  • sinto-me em paz? 

LIVRA-TE DE TUDO O QUE TE MANTÉM PRESA

Podes socorrer-te deste mantra sempre que precisares de ter a coragem para assumires o controlo da tua vida e lembra-te que:

“O melhor caso de amor que podes ter é com a tua própria vida e contigo mesma!”

Faz sentido para ti?

Comenta e partilha este texto se achares que ele poderá ajudar outras pessoas.

Obrigada!

Zulima